Feedback Feedback

LATAM TRADE

Passageiros Especiais | Atestado Médico
    • Todo passageiro que tenha uma condição médica (Veja Lista de Doenças) deve providenciar uma certificação especial para o seu embarque, que deve ser feito preferencialmente na forma prevista para isto (MEDIF) ou através de um Certificado Médico. O objetivo da certificação MEDIF ou médica é:
      • Autorizar o embarque de um passageiro que necessite de assistência especial.
      • Confirmar um serviço especial quando necessitem de autorização adicional (exemplo: cadeiras de rodas, etc.).
    • Este procedimiento se aplica a todas as rotas LATAM.
    • A LATAM não fornece serviços médicos de nenhum tipo.
    • Os passageiros menores (CHD) que necessitam de certificado médico para embarcar não podem ser aceitos como UMNR (Menor Desacompanhado).
    • Para toda doença infectocontagiosa deve ser apresentado um atestado médico que especifica que não há risco de contágio. Caso contrário não poderá ser permitido o embarque, embora esteja em tratamento e tenham preenchido o MEDIF. Entende-se por doenças infectocontagiosas as de transmissão rápida e fácil. Exemplos: Influenza, Varicela, Varíola, Sarampo, Rubéola, Tuberculose, Meningite, Coqueluche, Difteria.
    • No caso de passageiros dependentes de insulina não é necessário que a apresentação do certificado médico para o embarque. No entanto, deve ser apresentado atestado médico que certifique a dependência de insulina para permitir o uso de seringas a bordo.
    • O atestado médico ou MEDIF deve ser válido até 10 dias da partida do primeiro voo do itinerário, que pode ser usado para o retorno, independentemente da data do voo de regresso, desde que o quadro clínico do passageiro não tenha mudado.

    O MEDIF é um formulário padrão para respaldar o histórico médico do passageiro, assim o médico da empresa pode entender o estado em que se encontra e fazer as recomendações necessárias para o bem-estar do passageiro e a segurança da operação. O MEDIF consiste de duas partes:

    • Parte 1: deve ser preenchido pelo passageiro ou agente de viagens.
    • Parte 2: deve ser preenchida pelo médico responsável.

    Em caso de apresentar um certificado emitido pelo médico responsável, deve conter pelo menos os mesmos dados exigidos no MEDIF, tais como:

    • Autorização para viagem de avião. 
    • Se é necessário ou não um acompanhante, especificando se é obrigatório que o acompanhante seja um profissional de saúde.
    • Se existem requisitos especiais (Dispositivos Médicos, etc).
    • Medicamentos utilizados e outras medidas de soporte.
    • O certificado deve seguir o mesmo procedimento e ser autorizado pelo médico da empresa.

    Documentos Relacionados:

    MEDIF LATAM - Portugués

    • O Agente de Viagens deve revisar a Lista de Doenças que deve ser submetida à validação da área médica da LATAM.
    • Idealmente, a Certificação Médica deve ser processada com um mínimo de 48 horas antes da partida do voo. Em períodos mais curtos, não é possível comprometer os tempos de resposta das áreas médicas que garantem a viagem do passageiro.
    • No Brasil, uma vez que os dados solicitados tenham sido inseridos, o MEDIF  ou o Certificado Médico, entre em contato com a gente em na nossa Central de Vendas, Fidelidade e Serviços pelo menos 48 horas antes do horário de saída de seu voo. Você também pode enviar o Certificado MEDIF preenchido, assinado e carimbado pelo seu médico, através do e-mail medif@latam.com 
    • Se a remessa for rejeitada, o executivo da LATAM que recebeu a solicitação entrará em contato com a Agência de Viagens ou com o passageiro informando o motivo da rejeição.
    • O médico da LATAM pode condicionar o embarque, exigindo um acompanhante (adulto responsável) fisicamente e mentalmente capacitado para a atenção do passageiro.
    • Para embarque o passageiro deverá apresentar o atestado médico ou MEDIF recebido por email com a autorização enviada pela LATAM.

    Lista de enfermedades que sempre se fará necessária tramitar certificação médica (MEDIF ou certificado médico):

    1. Câncer de qualquer tipo, especificando o estágio, tratamento, estabilidade da doença para o voo e se requer algo especial para o voo (por exemplo, oxigênio, acompanhado por enfermeira, etc.);
    2. Requisito de oxigênio no voo, especificando o fluxo, a doença, estabilidade da patologia, duração da bateria, necessidade especial adicional, modelo do equipamento;
    3. Doenças infectocontagiosas (por exemplo, varicela, sarampo, tuberculose, pneumonia, etc.) que estão em andamento ou foram diagnosticadas nos 15 dias anteriores ao voo, indicando o tratamento e a estabilidade da patologia;
    4. Cirurgias realizadas 15 dias antes do voo, indicando necessidade especial, diagnóstico da cirurgia, caso necessite de medicação a bordo (ex: anticoagulante);
    5. Patologias de origem mental (epilepsia, bipolaridade, psicose, ataque de pânico, depressão aguda, psicose maníaco-depressiva, etc.) ou neuro degenerativa avançada (por exemplo, Alzheimer avançado, esclerose múltipla avançada, etc.), especificando o tratamento, estabilidade para o voo, necessidade de companhia a bordo;
    6. Patologias cardíacas (por exemplo, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, angina ou arritmia instável, malformação, cirurgia recente, angioplastia, marca-passo, ablação, etc.) com diagnóstico ou tratamento recente (últimos 30 dias), que exigiu qualquer intervenção, estudo invasivo (cateter) ou que requer anticoagulante;
    7. Patologias pulmonares com diagnóstico recente, que requerem oxigênio, que requerem anticoagulante ou que exigiram algum procedimento / hospitalização nos últimos 15 dias antes da viagem (por exemplo, embolia pulmonar, ataque cardíaco, embolia pulmonar, pneumonia recente, fibrose cística, enfisema, DPOC, hemotórax, hipertensão pulmonar, bronquiectasia, etc);
    8. Patologias gastrointestinais com diagnóstico recente, que exigiram algum procedimento/ hospitalização nos últimos 15 dias anteriores à viagem;
    9. Patologias cerebrais (Câncer, infarto, acidente vascular, etc.) com diagnóstico recente que exigiu algum procedimento/internação nos últimos 15 dias anteriores à viagem;
    10. Patologias dentais em caso de extrações ou tratamentos de canal radicular menos de 48 horas antes do voo;
    11. Recém-nascido de até 7 dias de idade;
    12. Pós-parto de até 7 dias após o parto;
    13. Gravidez de alto risco (descolamento prematuro da placenta, suspeita de aborto, etc.);
    14. Cirurgia de ouvido nos últimos 30 dias;
    15. Politraumatizado (fraturas múltiplas), fratura de membro inferior exigindo gesso ou fixador externo nos últimos 30 dias antes do voo;
    16. Distúrbio de coagulação;
    17. Em caso de ter realizado mergulho 72 horas antes do voo.

     

    Qualquer outra condição médica não listada que apresente risco de acontecimentos graves durante o voo deverá passar por análise médica.